Reunião das Academias de Odontologia do Brasil

Instada pela ABENO, a Academia Catarinense de Odontologia organizou a histórica reunião on line das Academias brasileiras, paralela da 55ª Reunião Anual da ABENO, com significativo número de presenças individuais e de entidades. Após três horas de organizado trabalho, presidido pelo Ac. Jorge dos Passos Corrêa Cobra e mediado pela Ac. Daniela Lemos Carcereri, quedou a certeza de que o academismo odontológico brasileiro sofrerá profundos avanços. Da programação participaram, com palestras motivacionais e relatórios de atividades, o Presidente da Academia Brasileira de Odontologia, Ac. Mário Groisman e os membros da ACO: Casimiro Manoel Martins Filho, Nestor Antônio Schmidt de Carvalho, Saulo Silva Jabor, Joeci de Oliveira e Delmo Tavares.  Após o encerramento da reunião, já percebeu-se grande movimentação das academias com propostas para aquecer a integração ora iniciada. O futuro nos agradecerá.

 


Relatório da reunião das Academias de Odontologia do Brasil na 55ª Reunião Anual da ABENO


Introdução

No dia 11 de novembro de 2020 foi realizada a reunião das Academias de Odontologia brasileiras na 55ª Reunião Anual da ABENO. Foi utilizada a sala virtual de domínio oficial da academia Catarinense de Odontologia ACO cujo endereço e Google meet ngj-oggo-rnx amplamente divulgado na programação e enviada para todas as academias. Esta reunião foi gravada.

O formato de inscrição utilizado para participar na programação foi o google forms e o objetivo foi criar um banco de dados com todos os acadêmicos das academias de Odontologia do Brasil tendo sido este o motivo pela qual o presidente da ACO sugeriu que fossem realizadas as inscrições de todos os acadêmicos de cada academia mesmo que não participassem do evento. O resultado foi a inscrição de 226 acadêmicos.

Num pico de frequência contamos com 65 acadêmicos, o que não representa o número real de participantes, tendo em vista a rotatividade de participações. Esta situação nos parece bastante confortável, representando uma vitória do empreendimento, já que a maioria das perspectivas de frutificação dos objetivos propostos no programa elaborado pela ACO. Em termos de número de Academias, nossa sensação de êxito aumenta, já que se contou com 16 entidades das 19 que foram contatadas e que, possivelmente, são as que realmente existem no país.

Desenvolvimento

A reunião foi iniciada pelo presidente da Academia Catarinense de Odontologia as 9.00 horas com uma mensagem de boas-vindas a todos e em seguida passada a palavra para a mediadora Acadêmica Daniela Carcereri que fez uma rápida explanação sobre como transcorreria a reunião em relação as falas dos palestrantes e a participação dos representantes das academias. Em seguida a palavra foi passada para o presidente da Academia Brasileira de Odontologia que deveria discorrer sobre o tema: A importância das Academias de Odontologia no fortalecimento da ética e dignidade profissionais. O palestrante apresentou algumas imagens com falas de profissionais e ainda de eventos e, aproveitou este espaço para discorrer sobre os feitos da academia Brasileira, sob a sua presidência. Este bloco conforme previsto, não foi aberto para discussões pois tinha sido projetado para uma mensagem de como as academias poderiam ser protagonistas desse papel no fortalecimento da ética e da dignidade profissionais.

Concluída esta fala iniciou-se o segundo bloco com as palestras dos acadêmicos Nestor Carvalho o qual abordou o tema Ações das Academias nos tempos de normalidade e de pandemia (relatórios de ações institucionais das Academias) e Saulo Silva Jabor com o tema: O dinamismo da academia como agente do progresso da classe. Para cada palestra foram disponibilizados 5 minutos tempo este respeitado por ambos. Alguns acadêmicos participaram das discussões nesse bloco fazendo seus depoimentos ou mesmo comunicações a respeito do trabalho de suas academias estaduais.

O bloco 3 iniciou com a palestra do Ac. Casimiro Martins Filho que discorreu sobre o tema: Somos apenas história ou podemos fazer história. Este discorreu sobre a importância de uma dinâmica das academias no sentido de participação na construção da história e não apenas na sua reprodução. Também alguns depoimentos ocorreram após a fala inclusive com questionamentos do presidente da academia brasileira que entendia que todos deveriam relatar os seus feitos e não o estavam fazendo até àquele momento. O palestrante informou que aquele era um primeiro encontro e, portanto, o objetivo era a aproximação das academias.

Bloco 4 iniciou com a fala do Ac. Delmo Tavares e tratou do tema: Envolvimento das academias em políticas públicas e classistas, palestra esta que teve como objetivo delinear a importância das academias na discussão desses temas e deu ênfase a necessidade de mudança na legislação que norteia a profissão odontológica por estarem ultrapassadas. Vários participantes se manifestaram nesse bloco destacando a importância do tema.
Por último a palavra foi passada para a Ac. Joeci de Oliveira a qual falou sobre Mecanismos de integração das academias. Esta fala teve como objetivo sugerir aos presentes algumas ideias a respeito de como poderemos fazer uma integração das academias no Brasil. Ficou claro no relatório deste 5º bloco que o pensamento da Academia Catarinense de Odontologia é que se deve evitar protagonismos na condução desse processo de união das arcádias. A liderança deve ser exercida preferencialmente por sistema de colegiado.
Após alguns depoimentos e falas, a mediadora da reunião passou a palavra para o presidente da Academia Catarinense fazer o encerramento da reunião. Este delegou a função ao Ac. Delmo Tavares o qual proferiu algumas palavras de agradecimento a todos e às 11 h e 58 min encerrou a reunião.

Conclusão

A reunião seguiu rigorosamente todos os itens de sua programação, exaustivamente divulgados ao longo das semanas que antecederam a sua realização. Do programa oficial constava a recomendação de que, ao final de cada palestra motivadora dos cinco blocos, as Academias deveriam apresentar relatório de suas atividades no tema pertinente. Isto foi pouco observado, ressalvada a Academia Brasileira cujo Presidente relatou que está realizando uma revitalização daquele Ateneu. No entanto, percebeu-se na fala do Presidente uma insistência ao cobrar das demais Academias a apresentação de seus relatórios de atividades, sem se ater ao fato de que muitas não têm estrutura administrativa para gerar os documentos e outras talvez não tenham mesmo o que apresentar. Para diagnosticar estas deficiências e trabalhar para saná-las, na busca do crescimento do academicismo odontológico nacional, é que essa reunião foi realizada.


Florianópolis, 16 de novembro de 2020

Comissão designada pelo presidente da ACO

  • Ac. Casimiro Manoel Martins Filho
  • Ac. Delmo Tavares
  • Ac. Saulo Silva Jabor